Homenagem: Mayakovsky

Vladimir Ilitch Lênin (ou Ode à Revolução Socialista de Outubro)

Poema de Vladimir Maiakovski , escrito em 1924

Tradução de Zoia Prestes

Excertos (versão completa publicada em livro-poema pela editora Anita Garibaldi em parceria com a Fundação Maurício Grabois, 2012)

 

ODE À REVOLUÇÃO

 

Não devemos

nos derramar

em poços de lágrimas, –

Lenin

ainda

está mais vivo do que os vivos

É nosso saber –

nossa força e arma

 

O Partido e Lenin –

são irmãos gêmeos –

quem é mais

valioso do que a mãe-história?

Dizemos Lenin –

subentendemos –

Partido,

Dizemos

Partido,

subentendemos –

Lenin

 

Não é a vassoura

a arma é o fuzil.

Mil vezes

a mesma coisa

ele prega

no ouvido surdo

e amanhã

cada um erguerá

as mãos

as duas

que estenderam.

Ontem foram quatro,

hoje são quatrocentos.

Escondemo-nos,

mas amanhã

vamos de peito aberto,

e esses

quatrocentos

serão mil

 

Dessa bandeira

de cada dobra

novamente

vivo

Lenin conclama:

– Proletários,

formem-se

para a última batalha!

Escravos,

endireitem

as colunas e os joelhos!

Exército dos proletários,

levante-se esguio!

Viva a revolução,

radiante e veloz!

Essa –

é a única

grande guerra

de todas

que a história já viveu.