Vamos barrar esses projetos

Júlia Cruz entrevista Ubiraci Dantas de Oliveira (Bira), presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB).

Bira: vamos barrar esses projetos e essa política que o governo está aplicando contra o país.

O presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Ubiraci Dantas de Oliveira, falou ao América do Sol, sobre as mobilizações para greve geral, convocada pelas centrais sindicais no próximo dia 28 de abril.

América do Sol – Como estão as preparações para a greve geral que está sendo convocada para o dia 28?

Bira – De norte a sul do país a mobilização contra esses absurdos que o governo Temer está tentando impor à nação só aumenta. A luta pegou no breu em repúdio a essa reforma da Previdência, que na verdade é um escárnio, uma crueldade contra o nosso povo.

Em todos os estados, estamos presente nas praças, nas estações de trem e metrô, que estão sendo ocupadas pelos dirigentes sindicais para podermos ter uma grande força na greve do dia 28.

As assembleias estão acontecendo em todas as categorias. Já ocorreu a dos metalúrgicos, dos servidores da educação e de diversas outras áreas, dos petroleiros, portuários, e a luta só cresce.

ASOL – O argumento do governo é de que falta dinheiro para cobrir as despesas da Previdência, e que por isso seria necessária a reforma, para economizar. Como você vê esses argumentos apresentados?

Bira – Não existe esse déficit que eles dizem. O que acontece é que o governo prefere tirar o dinheiro, previsto na Constituição, da Seguridade Social, para desviar aos bancos, para facilitar a vida dos bancos. Faz isso e mantém a taxa de juros como a mais alta do mundo, desviando bilhões de reais. Só nos últimos dois anos foram mais de R$ 908 bilhões para os banqueiros.

Banqueiro não constrói posto de trabalho, casa, posto de saúde, não quer saber de trabalhador, mas só de dinheiro, de lucro. O governo está nas mãos dos banqueiros. Mas a luta está tão forte que vamos derrotar essa proposta de desmonte da Previdência que estão fazendo. Estamos trabalhando na Câmara, no Senado, mas, principalmente nas ruas em todo o país.

ASOL – Alguns setores tentaram negociar com o governo algumas mudanças no projeto. Você concorda que é possível melhorar a proposta?

Bira – Aqueles que acreditaram em negociação com esse governo deram com os burros n’ água. O governo está fazendo o que quer, não respeita os trabalhadores. Por isso, qualquer emenda nessa PEC 287 da Previdência é para perfumar, para disfarçar. Isso porque, ao fim e ao cabo, o objetivo é retirar direitos. Por isso o que exigimos é a retirada do projeto, por completo, porque se trata de um crime contra o povo brasileiro.

ASOL – Junto com a reforma da Previdência, o governo pretende aprovar uma reforma trabalhista…

Bira – Sim. E já começaram essa reforma com a terceirização. Terceirização é rasgar a CLT. Querem acabar com férias, FGTS, reduzir a hora de almoço, diminuir os salários. É isso que querem com esses projetos. E vamos fazer o que for possível para impedi-los.

Vamos barrar esses projetos e essa política toda que o governo está aplicando contra o país. Uma política econômica que já vinha sendo aplicada pelo PT, pela Dilma e Lula e que destrói o país.

 ASOL – Membros do governo e do Congresso foram citados nas investigações da Lava Jato. Acha que isso interfere nas votações? E a legitimidade dos políticos?

Bira – Nós consideramos que um governo que está na Lava Jato, com um monte de ministros e ele próprio, um governo que está com seus pares do PMDB sendo investigados, não tem moral para conduzir o Brasil, não tem representatividade. É por isso que o povo está se levantando em todos os lugares, chamando a greve geral. O povo não aceita essa situação.

Acreditamos que temos que dar força para a Lava Jato para prender todos esses ladrões que assaltaram a Petrobrás, seja de que partido for. Tem que pagar.

Não tem condição nenhuma desse governo permanecer, por isso nossa luta é para derrubar quem lá está e convocar eleições gerais.

O que nós queremos é totalmente o oposto do que estão fazendo com o país: precisamos reduzir drasticamente os juros e voltar a ter emprego e desenvolvimento. E com esse governo isso não será possível. E é isso que estamos vendo. Um levante popular contra Temer e sua política de lesa Pátria. A Pátria está sendo roubada por esse bando de corruptos e precisamos estancar essa roubalheira e jogar o barco para frente.

Compartilhar